Youtube ferochhas 
Amar!
Eu quero amar, amar perdidamente ! 
Amar só por amar:Aqui ...além
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...
Florbela Espanca

Steve Hanks

ALENTEJANOS NO FACEBOOK


JANELAS DA ALMA

Abro as janelas da alma
Entra nela um vento misterioso
Sereno e tranquilo que me acalma
Quieto, deixo entrar nela bandos de aves
Que fazem um elíptico e estranho bailado
Com os seus voos mágicos e suaves
No meu espírito pecador, humano imortalizado
Decido e entrego o meu corpo ao tempo
Espero pela metarmorfose secreta e divina
Sem remorso, sem quaisquer lamento
Porque sei que ela tudo elimina e afina
Temo apenas a tempestade que se aproxima
Trazendo raios que podem cair-me em cima
Com medo chamo por ti! chamo por ti!
Para que me beijes uma última vez
E vejas como decido sair em silêncio daqui
Na tranquilidade da lúcida altivez
Com a saudade apenas da doçura dos teus lábios
Que tu pintaste a rigor mais uma vez
Quero descobrir para mostrar-te o secreto caminho
Que não nos leve para uma direção errada
Escrito e previsto num antigo pergaminho
Que leva o nosso amor e o teu corpo de amada
Para esse mistério que teimamos em conhecer
Sem que nós dois possamos agora fazer nada! Nada!
A não ser! esperar que voltemos a renascer
E mais uma chance nos volte a ser dada
Para que nos voltemos de novo a ter
Deixo aqui no poema a janela da alma aberta
Embriagada numa espiral de prazer
Por acreditar na misteriosa passagem secreta
Que um dia havemos os dois descobrir e conhecer
A beleza de um bailado sagrado e encantador
Que apenas o nosso espírito irá ver
Eu decidi! Não parto sem ti! meu Amor!
E, eu sei, que o querer é poder!

Joaquim Jorge de Oliveira
ÉVORA
17-10-2013
Boa, quinta-feira amigos! Esta humilde inspiração escrita hoje com o título:”JANELAS DA ALMA” é a minha singela partilha poética. Para refletir…espero que gostem!


JANELAS DA ALMA

Abro as janelas da alma
Entra nela um vento misterioso
Sereno e tranquilo que me acalma
Quieto, deixo entrar nela bandos de aves
Que fazem um elíptico e estranho bailado
Com os seus voos mágicos e suaves
No meu espírito pecador, humano imortalizado
Decido e entrego o meu corpo ao tempo
Espero pela metarmorfose secreta e divina
Sem remorso, sem quaisquer lamento
Porque sei que ela tudo elimina e afina
Temo apenas a tempestade que se aproxima
Trazendo raios que podem cair-me em cima
Com medo chamo por ti! chamo por ti!
Para que me beijes uma última vez
E vejas como decido sair em silêncio daqui
Na tranquilidade da lúcida altivez
Com a saudade apenas da doçura dos teus lábios
Que tu pintaste a rigor mais uma vez
Quero descobrir para mostrar-te o secreto caminho
Que não nos leve para uma direção errada
Escrito e previsto num antigo pergaminho
Que leva o nosso amor e o teu corpo de amada
Para esse mistério que teimamos em conhecer
Sem que nós dois possamos agora fazer nada! Nada!
A não ser! esperar que voltemos a renascer
E mais uma chance nos volte a ser dada
Para que nos voltemos de novo a ter
Deixo aqui no poema a janela da alma aberta
Embriagada numa espiral de prazer
Por acreditar na misteriosa passagem secreta
Que um dia havemos os dois descobrir e conhecer
A beleza de um bailado sagrado e encantador
Que apenas o nosso espírito irá ver
Eu decidi! Não parto sem ti! meu Amor!
E, eu sei, que o querer é poder!

Joaquim Jorge de Oliveira
ÉVORA
17-10-2013




Comunidade poemas ,frases, e amor
NO SILÊNCIO

No silêncio escuto tua voz tão linda
No silêncio revejo nossa história...
História escrita no silêncio de minha alma
No silêncio vou te buscar, pego na tua mão
E corremos num campo cheio de flores, pássaros e borboletas
Numa pirueta de muitas cores
Sentamos na grama que será nossa cama...
Te olho nos olhos, te chamo de meu amor
Te dou beijos e acendo os teus desejos
Ficamos assim num longo silêncio...
No silêncio te sinto, te quero, te venero me dou por inteira
No silêncio te espero, pois no silêncio tu sabes o quanto te quero
Vem meu amor que eu te espero!

LáFeOli