Como pode uma bela flor vir de uma planta rodeada de espinhos tão afiados ?


Um certo homem plantou uma rosa e passou a regá-la constantemente e, antes que ela desabrochasse, ele a examinou.
Ele viu o botão que em breve desabrocharia, mas notou espinhos sobre o talo e pensou, "Como pode uma bela flor vir de uma planta rodeada de espinhos tão afiados?
"Entristecido por este pensamento, ele se recusou a regar a rosa, e, antes que estivesse pronta para desabrochar, ela morreu.

Assim é com muitas pessoas. Dentro de cada alma há uma rosa: as qualidades dadas por Deus e plantadas em nós crescendo em meio aos espinhos de nossas faltas.
Muitos de nós olhamos para nós mesmos e vemos apenas os espinhos, os defeitos. Nós nos desesperamos, achando que nada de bom pode vir de nosso interior. Nós nos recusamos a regar o bem dentro de nós, e, consequentemente, isso morre. Nós nunca percebemos o nosso potencial.


Algumas pessoas não vêem a rosa dentro delas mesmas; Alguém mais deve mostrá-la a elas. Um dos maiores dons que uma pessoa pode possuir ou compartilhar é ser capaz de passar pelos espinhos e encontrar a rosa dentro de outras pessoas. Esta é a característica do amor -- olhar uma pessoa e conhecer suas verdadeiras faltas.
Aceitar aquela pessoa em sua vida, enquanto reconhece a beleza em sua alma e ajuda-a a perceber que ela pode superar suas aparentes imperfeições. Se nós mostrarmos a essas pessoas a rosa, elas superarão seus próprios espinhos. Só assim elas poderão desabrochar muitas e muitas vezes.

Autor desconhecido

Os 25 sintomas da doença de Alzheimer

Os 25 sintomas da doença de Alzheimer

De todas as pessoas que sofrem de demência, estima-se que 50 a 70% dos indivíduos afetados tenham a doença de Alzheimer. Conheça os 25 sintomas que determinam o aparecimento da doença de Alzheimer e faça o melhor diagnóstico possível para aumentar a qualidade de vida de um doente.

A doença de Alzheimer é um tipo de demência que provoca uma deterioração global, lenta, progressiva e irreversível de diversas funções do conhecimento e revela-se na perda de memória, atenção, concentração, linguagem, pensamento, entre outras. No entanto, um único sintoma não indica necessariamente que uma pessoa sofra de Alzheimer ou de demência. Por exemplo, existem várias causas para a perda de memória e a falta dela não é sinónimo de doença. Contudo, se à perda de memória, existirem alterações significativas no comportamento e na capacidade funcional da pessoa, isso podem ser sinais claros do surgimento da doença de Alzheimer.

Dos aspetos principais que constituem a doença de Alzheimer, destacam-se os sintomas seguintes:
1. A perda de memória

A maior parte dos doentes com Alzheimer não se consegue lembrar das mais pequenas coisas do dia-a-dia, como por exemplo: o que fizeram no dia anterior, os nomes das pessoas que os rodeiam, o que comeram ao almoço, os animais de estimação que têm, números de telefone e conversas recentes, entre outros. Em todo o caso, a perda de memória pode não ser consistente e o facto de não se lembrar hoje não quer dizer que não o faça amanhã.
2. O estado agitado e o humor alterado

É comum para alguém que sofre de Alzheimer parecer ansioso ou agitado. A agitação resulta geralmente do medo, confusão, pressão ou fadiga que um doente possa estar a sentir. Por outro lado, as mudanças radicais também contribuem para uma enorme agitação e mudança repentina de humor. Independentemente do motivo ou situação, um doente de Alzheimer pode passar de um estado calmo para um estado de raiva sem qualquer motivo aparente.
3. O julgamento debilitado




Uma pessoa que tem a doença de Alzheimer tem tendência a tomar as decisões mais disparatadas e/ou inadequadas perante uma determinada situação. Um exemplo dessa irresponsabilidade está na forma imperfeita de se vestir ou na incapacidade de avaliar por si próprio aquilo que é mais seguro. Por norma, as primeiras mudanças que ocorrem no julgamento de uma pessoa estão relacionadas com a gestão das suas finanças e é quando o dinheiro começa a ser gasto de forma inusitada e incorreta.
4. Dificuldade em lidar com o dinheiro

A dificuldade em lidar com o dinheiro é um obstáculo muito difícil de ser ultrapassado para quem sofre de Alzheimer. A incapacidade de pagar contas, de fazer as compras essenciais e administrar um orçamento é um sinal claro de demência psíquica e indica se um indivíduo está ou não na posse de todas as suas faculdades.
5. Dificuldade em realizar tarefas familiares

Uma pessoa que sofre de demência leva mais tempo a concluir as tarefas mais básicas do dia-a-dia que, por hábito, já realizou milhares de vezes. Por exemplo, um cozinheiro experiente pode ter sérias dificuldades em fritar um ovo ou qualquer outro tipo de cozinhado de fácil realização.
6. O problema do planeamento e resolução de problemas

À medida que a demência progride, podem existir maiores dificuldades de concentração. De uma forma mais particular, uma pessoa que sofre de Alzheimer não consegue seguir um plano, tomar a medicação correta ou gerir um orçamento. Por outro lado, a sua capacidade de decisão e resolução de problemas é
 nula.



7. Trocar o lugar das coisas

Um dos sintomas mais frequentes da doença de Alzheimer está relacionado com a troca sistemática do lugar das coisas. Por exemplo, é muito frequente encontrar as chaves de casa no congelador ou o comando da televisão na gaveta das meias, entre outras situações insólitas. Existe uma tendência para o esquecimento, mas também para deixar as coisas nos locais mais incomuns. É também de registar que é frequente acusarem outra pessoa de esconder ou roubar os seus pertences.
8. A desorientação no tempo e no espaço

A perceção do tempo e do espaço é um dos problemas mais graves que afeta um doente de Alzheimer. É muito fácil ficar perdido na rua, uma vez que não se recorda do local onde vive, não tem a noção das datas, estações do ano e/ou passagem do tempo, entre outras situações temporais e espaciais.
9. A dificuldade em comunicar

As capacidades linguísticas e comunicacionais de uma pessoa com Alzheimer vão diminuindo com o passar do tempo. Uma pessoa pode ter imensas dificuldades em encontrar a palavra certa, chamar as coisas pelos nomes errados, inventar novas palavras, entre outras situações. Esta condição carece de atenção, pois pode conduzir ao isolamento e depressão.
10. Vaguear sem rumo

Infelizmente, cerca de 60% das pessoas com demência têm uma tendência para vaguear sem qualquer tipo de destino. Isso deve-se à inquietação, medo, confusão em relação ao tempo e incapacidade em reconhecer pessoas, familiares, lugares e objetos. Em alguns casos, a pessoa pode sair de casa a meio da noite para satisfazer uma necessidade física, como encontrar uma casa de banho/banheiro ou comida, ou até pode querer ir para casa quando já está efetivamente em casa.
11. O discurso repetitivo

A repetição frequente de palavras, frases, perguntas ou atividades é uma característica da demência e da doença de Alzheimer. Esse comportamento repetitivo é provocado, por vezes, pela ansiedade, stress, ou para alcançar o conforto, segurança ou familiaridade.
12. As dificuldades visuais e espaciais

As pessoas que sofrem da doença de Alzheimer tendem a ter dificuldades de leitura, em julgar distâncias ou a determinar a cor e/ou contraste de um determinado tipo de material. Em termos de perceção, é comum que uma pessoa se olhe ao espelho e pense que está na companhia de outra pessoa sem se ter apercebido que está diante do seu próprio reflexo.
13. A realização de atividades sem qualquer tipo de propósito

Se detetar que um familiar que está ao seu cuidado realiza todo o tipo de esforços para a realização de uma atividade sem qualquer tipo de objetivo, como por exemplo abrir e fechar uma gaveta várias vezes, isso poderá significar que essa pessoa sofrerá de demência e, consequentemente, de Alzheimer. Apesar de não terem uma finalidade última, esse tipo de comportamentos revela a necessidade que uma pessoa tem em se sentir produtivo ou ocupado.
14. A necessidade de se afastar de todo o tipo de atividades

A doença de Alzheimer pode ser uma doença muito solitária e pode originar uma falta de interesse geral nas mais variadas atividades sociais ou pessoais. É comum que uma pessoa que sofra desta doença deixe de fazer os seus passatempos preferidos, pois não se recorda como os faz nem sequer sente o mesmo prazer.



15. A perda de iniciativa e motivação

A apatia, perda de interesse e de motivação em atividades sociais ou pessoais podem levar uma pessoa à depressão e, consequentemente, ao isolamento. A depressão dificulta muito a tarefa de um doente pois impede-o de articular corretamente os seus sentimentos e faz com que ele não tenha qualquer vontade ou iniciativa própria.
16. O não reconhecimento da família e dos amigos

De uma forma geral, as pessoas que têm Alzheimer esquecem o que aprenderam e quem conheceram e isso faz com que não reconheçam os seus amigos e familiares mais próximos. Num estado avançado e final da doença, as pessoas podem apenas recordar-se dos seus pais e de apenas algumas passagens com eles.
17. A perda das habilidades motoras e do sentido do tato

A demência afeta as capacidades motoras e interfere com o manuseamento de roupas ou todo o tipo de utensílios, como as tesouras ou os garfos. Contudo, a perda das habilidades motoras e do sentido do tato podem estar relacionados com uma doença muito diferente, como a doença de Parkinson. Deve observar esses sintomas e comunicá-los imediatamente ao seu médico de família para um diagnóstico mais detalhado.
18. A dificuldade em se vestir

A forma como um indivíduo se veste diz muito sobre a condição psicológica de uma pessoa. No caso de um doente de Alzheimer é comum ele utilizar a mesma roupa durante vários dias, pois esquece-se que a mesma já foi usada. Por outro lado, as dificuldades em apertar ou desabotoar os botões de uma camisa ou de um casaco, assim como realizar o nó de uma gravata são também um enorme handicap devido à perda das habilidades motoras.
19. O desleixo com a aparência e higiene pessoal

Os doentes de Alzheimer têm tendência para serem desleixados com a sua aparência e higiene pessoal, e esquecem-se, na maioria das vezes, de escovar os dentes, cortar as unhas, tomar banho e até utilizar a casa de banho/banheiro para a realização das suas necessidades.
20. Esquecer as refeições principais

A diminuição do apetite e a perda de interesse e prazer pela alimentação faz com que um doente de Alzheimer se esqueça de realizar as refeições principais ao longo do dia. Existe também a hipótese de um indivíduo perder a capacidade de dizer se um alimento ou bebida está quente ou frio demais para comer ou beber. Por vezes, face ao facto de não se lembrarem de como utilizar os talheres, alguns indivíduos chegam a levar a comida à mão até à sua própria boca.
21. O comportamento inadequado

Na fase terminal da doença de Alzheimer, um indivíduo pode revelar um comportamento inadequado e agir de forma atípica em várias situações distintas. Por exemplo, é comum esquecerem-se que são indivíduos casados e começam a fazer avanços sexuais inapropriados com outros parceiros, ou podem tirar a roupa em horários impróprios e em locais invulgares.
22. A capacidade de delirar

Os delírios e a paranoia são comuns nos doentes que sofrem de Alzheimer e alguns chegam a ter a forte convicção ou ilusão de que alguém o está a tentar ferir ou matar. A perda da memória e a confusão são os responsáveis principais pela má interpretação do que um doente vê e ouve.
23. A agressão física e verbal

A demência vai piorando com o tempo e com ela vão-se alterando os comportamentos e é normal que alguém se torne física ou verbalmente mais agressivo. As explosões verbais, gritos, ameaças e empurrões podem ser uma constante e podem surgir do nada. No entanto, é de realçar que a agressão verbal ou física pode estar relacionada com algum desconforto físico, incapacidade de comunicação ou frustração perante uma determinada situação.
24. As dificuldades em dormir

Alguns sintomas como a agitação, ansiedade, desorientação e confusão tendem a piorar à medida que o dia passa e podem continuar durante a noite, fazendo com que existam muitas dificuldades em adormecer e dormir. Essa perturbação do sono pode estar relacionada com as alterações do relógio biológico de uma pessoa e é uma razão comum que leva muitas vezes os familiares a colocar os seus entes queridos num lar de idosos.
25. A imitação ou o comportamento infantil

Os especialistas afirmam que quem sofre da doença de Alzheimer fica completamente dependente de um determinado indivíduo e imita-o de forma infantil, chegando até a segui-lo como uma espécie de “sombra”. Este comportamento surge, muitas vezes, pelo receio em encarar a forma confusa como o mundo é percecionado e pela necessidade de ter por perto uma pessoa em quem se confia totalmente.

O que é afasia?

O que é afasia?
Provavelmente você se deparou com afasia pela primeira vez há
pouco tempo. No início afasia causa muitas dúvidas, como: o que é afasia,
como esta ocorre, e quais problemas adicionais podem ocorrer?
O que é afasia?
Todo ser humano faz uso da linguagem. Falar, achar as palavras
certas, entender, ler, escrever e fazer gestos fazem parte do uso da
linguagem. Se como resultado de uma lesão cerebral uma ou mais partes do
uso da linguagem pararem de funcionar apropriadamente, isto é chamado
afasia. Afasia – A (=não) fasia (=falar) significa por este motivo que uma
pessoa não é mais capaz de falar o que ele ou ela gostaria. Ele ou ela não
pode mais fazer uso da linguagem. Além de afasia, paralisia também pode
ocorrer e/ou problemas com:
Ações cotidianas,
-
Observação dos arredores,
-
Concentração, iniciativa para falar e memória.
-
Incapacidade para fazer duas coias ao mesmo tempo.
-
Muitas pessoas experienciam esta frustração durante uma viagem
internacional, onde não são capazes de dizer claramente o que gostariam,
ou de não entender apropriadamente o que outra pessoa diz. Mas até
mesmo no nosso país é possível experienciar este tipo de situação, como
por exemplo, durante uma visita ao médico. Em países nos quais nos
não dominamos a língua muito bem, nossa capacidade de comunicação
com a população local se torna mais limitada e não é sempre que temos
sucesso, como por exemplo, ao solicitar a refeição que gostaríamos de
comer. Pessoas que sofrem de afasia experienciam este problema todos os
dias. Afasia é uma alteração da linguagem. Não existem duas pessoas que
sofrem de afasia igualmente: afasia é diferente para cada um. A severidade
e a extensão da afasia depende, entre outras coisas, da localização e da
severidade da lesão cerebral, da competência linguística anterior e da
personalidade do indivíduo. Algumas pessoas com afasia podem entender
a linguagem, mas tem problemas para achar as palavras certas ou para
construir sentenças. Outros ao contrário tendem a falar em demasia, mas o
que eles falam é difícil de se compreender, geralmente, estas pessoas tem
muitos problemas para entender a linguagem. A competência linguística da
maioria das pessoas com afasia está em algum lugar destes dois extremos.
Mas preste atenção: pessoas que sofrem de afasia em geral tem a sua
competência intelectual a sua plena disposição!
Quase sempre há alguma recuperação espontânea de linguagem
quando a afasia se desenvolve. Esta recuperação é rara ou nunca completa.
Mas, com muitos exercícios, esforço e perseveran

O Desenvolvimento da Afasia
Afasia se desenvolve como resultado de uma lesão cerebral. A origem
desta lesão cerebral é na maioria dos casos decorrente de alterações nas
veias e artérias do cérebro. Tais disordens são chamadas de derrame,
hemorragia cerebral ou apoplexia. Em termos médicos isto é chamado de
AVC: acidente vascular cerebral. Outras causas para o desenvolvimento de
afasia podem ser por exemplo, um trauma (uma lesão cerebral decorrente
de um acidente de carro) ou um tumor cerebral.
Nosso cérebro precisa de oxigênio e glicose para funcionar
corretamente. Se como resultado de um AVC ou outros problemas, a
circulação sanguínea cerebral é prejudicada, as células cerebrais morrem
na área onde houve falta de circulação. No cérebro há várias áreas com
diferentes funções. Para a maioria das pessoas as áreas responsáveis pela
linguagem estão localizadas no lado esquerdo do cérebro. Em caso de
danos em áreas responsáveis pela linguagem nós falamos em afasia.
Quais problemas adicionais podem ocorrer?
Raramente uma pessoa sofre apenas de afasia. Frequentemente
outras áreas do cérebro são afetadas também. Exemplos de problemas
adicionais que podem ocorrer são:
Hemiplegia. Para pessoas com afasia a área afetada é frequentemente
-
a parte direita do corpo. A condução dos músculos em um lado
do corpo está afetada, e como resultado disso os músculos não
colaboram bem.
Hemianopsia ou hemiopia. Perda de parte campo de visão. Neste
-
caso a pessoa é capaz de ver tudo o que está localizado no lado da
sua parte saudável do corpo, mas não consegue ver os objetos que
estão localizados no seu lado doente.
Apraxia. Desconhecimento de como realizar sequências de ações.
-
Ações simples como se vestir, comer e beber podem de repente
não serem feitas conscientemente. Alguém que sofre de apraxia, por
exemplo, não sabe como assoprar uma vela quando solicitado (ação
consciente), no entanto, eles o fazem automaticamente quando
segurando um fósforo e este estiver queimando o seu dedo.
Disfagia. Problemas com comer, beber e deglutir. Devido a lesão
-
cerebral alguns músculos responsáveis pela mastigação e deglutição
podem ser paralisados, muito sensíveis ou até mesmo perderem a
sensibilidade. Isto torna comer e beber uma tarefa muito difícil. Devido
a paralisia e perda de sensibilidade em parte da face, pode haver
escape de saliva por um dos cantos da boca sem ser percebido.
Problemas de memória. Quando lembramos informações a linguagem
-
desempenha um papel muito importante. Devido aos problemas de
linguagem o funcionamento da memória também e prejudicado.
Desta forma, sempre anote algumas palavras chaves, isto tornará
mais fácil a tarefa de lembrar coisas para a pessoa com afasia.
Reações diferentes. Algumas vezes pessoas reagem de forma

completamente diferente depois de sofrer um derrame do que
costumavam reagir anteriormente. O controle para expressar
emoções se torna mais difícil. É possível que esta pessoa ria ou
chore mais frequentemente. Também é possível que isto lhe cause
mais esforço para parar de chorar ou rir.
Epilepsia. Quando o cérebro se recupera de uma lesão é criado
-
um tecido cicatricional. Como resultado deste tecido o corpo
convulsiona, causando frequentemente problemas para respirar ou
perda de consciência. Uma crise epiléptica dura poucos minutos,
mas frequentemente é inesperada e amedontra a pessoa que sofre
um ataque epiléptico e também a sua família.
A lista acima de problemas adicionais não é completa pois o
sintomas de afasia e as consequências adicionais são diferentes para
cada ser humano. Cada problema mencionado acima
pode ocorrer em combinação com afasia, mas não necessariamente
tem qu ocorrer
.
Tratamento da Afasia
Muitas pessoas que sofrem de afasia foram recentemente
hospitalizadas por algum tempo. Esta hospitalização frequentemente
ocorre depois da lesão cerebral ter ocorrido. Depois de ter alta do hospital
muitas pessoas com afasia ainda necessitarão de tratamento. Nem sempre
é claro a quem eles devem recorrer para ajuda. Por favor consulte-se com o
seu médico sobre as possibilidades na sua cidade. O tratamento da afasia
é quase sempre dado por Fonoaudiólogos. A príncipio qualquer pessoa
sofrendo de afasia é elegível para terapia fonoaudiólogica. A duração do
tratamento é, entre outras coisas, conectada com a recuperação da afasia,
e com as possibilidades e regulações disponíveis no seu país.
Orientações para a comunicação
Devido à afasia a maneira na qual o afásico entende o mundo ou a
maneira de se expressar sofre uma mudança. Através da melhor utilização
possível das habilidades comunicativas remanescentes do afásico, ainda
é possível se comunicar com ele. Uma pessoa com uma afasia severa
frequentemente entende apenas as palavras mais importantes de uma
sentença. Esta pessoa apenas compreende as chamadas “palavras –
chaves”. No entanto, entender o mundo à sua volta somente através do
significado de pelavras – chaves pode causar desentendimentos, pois
a combinação de palavras com o conhecimento geral de mundo não é
suficiente para a compreensão correta da mensagem dada. Muitas vezes
as pessoas que rodeiam o afásico pensam que eles se entenderam muito
bem, mas uma reação negativa deste demonstra que este não era o caso.
Se você gostaria de contar alguma coisa para alguém com afasia
Primeiramente, reserve um tempo para a conversa. Sente-se
confortavelmente e faça contato visual com ela.
Se você estiver ansioso para ter esta conversa, apenas diga algo
simples sobre você mesmo e faça perguntas que você já saiba a
resposta.
Fale devagar e com sentenças curtas, reforçando as palavras mais
importantes da sentença.

Escreva as palavras mais importantes. Repita a mensagem e dê
ao paciente o papel que você escreveu. O paciente afásico poderá
utilizar estas notas como um lembrete ou como uma forma para se
comunicar.
Ajude a pessoa com afasia a se expressar quando esta demonstras
problemas para se comunicar. Você pode fazer isso através de
apontar (para um objeto), gestos, desenhos ou escrever algo sobre
o que está sendo dito. Procure juntos em dicionários ou em livros de
conversação.
Se alguém com afasia quiser lhe contar algo
Primeiramente, deve estar claro quem está envolvido, o que acontece
ou o que acontenceu, e possivelmente onde e quando o evento ocorre
ou ocorreu. É muito importante que você escolha as questões de uma
maneira correta, seja criativo e proceda o mais sistematicamente possível.
Sempre tente fazer perguntas com mais de uma resposta, onde você liste
os problemas que podem ocorrer entre uma escolha e outra.
Suportes comunicativos
Em muitos países existem livros especiais contendo figuras para
serem apontadas, palavras e desenhos. Apontando as palavras ou figuras
pode se ter certeza do que está sendo dito. Consulte o seu médico ou
fonoaudiólogo se por acaso este tipo de ajuda já está disponível no seu
país. Se este não for o caso, você mesmo pode fazer o seu livro de
comunicação. Neste você pode incluir figuras ou imagens e palavras que são
importantes para uma pessoa com afasia. Desta forma uma conversa sobre
acontecimentos pode ser realizada e sentimentos podem ser discutidos.
Quando estamos comunicando com alguém com afasia, através de figuras
ou de um livro de comunicação é possível procurar juntos por conceitos que
são importantes para a conversa. Garanta que você tenha uma caneta e um
papel por perto. Você pode fazer anotações das palavras mais importantes
desta conversa, desta forma se torna mais fácil seguir e lembrar dos
conteúdos discutidos.
Paciência conquista tudo
Para se ter uma conversa com um afásico é importante ter tempo e
paciência. Apesar das dicas acima pode acontecer que vocês realmente não
se entendam. Deixe o assunto descansar por um tempo, e tente novamente
depois, você provavelmente terá sucesso!
Informações adicionais
No website da Associação Internacional de Afasia (AIA) você
pode encontrar mais informações sobre afasia em várias outras línguas:
www.aphasia-international.com
Onde você também encontrará links de
associações nacionais de afasia que oferecem informações na sua língua
materna.
O objetivo deste website é trazer atenção para o problema da afasia
e também estimular o contato de grupos de afásicos, prevenindo que
pessoas sofrendo de afasia terminem em isolamento social.

Basilian









xplicação do País de Abril

País de Abril é o sítio do poema.
Não fica nos terraços da saudade
não fica nas longas terras. Fica exactamente aqui
tão perto que parece longe.

Tem pinheiros e mar tem rios
tem muita gente e muita solidão
dias de festa que são dias tristes às avessas
é rua e sonho é dolorosa intimidade.

Não procurem nos livros que não vem nos livros
País de Abril fica no ventre das manhãs
fica na mágoa de o sabermos tão presente
que nos torna doentes sua ausência.

País de Abril é muito mais que pura geografia
é muito mais que estradas pontes monumentos
viaja-se por dentro e tem caminhos veias
- os carris infinitos dos comboios da vida.

País de Abril é uma saudade de vindima
é terra e sonho e melodia de ser terra e sonho
território de fruta no pomar das veias
onde operários erguem as cidades do poema.

Não procurem na História que não vem na História.
País de Abril fica no sol interior das uvas
fica à distância de um só gesto os ventos dizem
que basta apenas estender a mão.

País de Abril tem gente que não sabe ler
os avisos secretos do poema.
Por isso é que o poema aprende a voz dos ventos
para falar aos homens do País de Abril.

Mais aprende que o mundo é do tamanho
que os homens queiram que o mundo tenha:
o tamanho que os ventos dão aos homens
quando sopram à noite no País de Abril.

Manuel Alegre.


SINTOMAS REVELAM O QUE FALTA NO CORPO...

Vejam que interessante...

A partir de certa idade temos, quase todos nós, estes sintomas, provocados pela falta dos alimentos mencionados:

 1.  DIFICULDADE EM PERDER PESO

O QUE ESTÁ FALTANDO: ácidos gordos essenciais e vitamina. ONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão - além de suplementos específicos.

2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: na verdade um equilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
ONDE OBTER: leite de coco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro, semente de linhaça e os suplementos.

3. COMPULSÃO A DOCES O QUE ESTÁ FALTANDO: cromio.
ONDE OBTER: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre, cenoura + suplementos...

4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA
O QUE ESTÁ FALTANDO: potássio e magnésio
ONDE OBTER: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja e água.

5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL O QUE ESTÁ FALTANDO: lactobacilos vivos
ONDE OBTER: coalhada, iogurte, miso e similares..

6. FALTA DE MEMÓRIA
O QUE ESTÁ FALTANDO: acetil colina, inositol.
ONDE OBTER: lecitina de soja, gema de ovo + suplementos.

7. HIPOTIREOIDISMO (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO: iodo.
ONDE OBTER: algas marinhas, cenoura, óleo, pera, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho.

8.. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS
O QUE ESTÁ FALTANDO: colagénio.
ONDE OBTER: peixes, ovos, carnes magras, gelatina + suplementos.

9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR
O QUE ESTÁ FALTANDO: vitaminas A, C, E e ferro.
ONDE OBTER: verduras, frutas, carnes magras e suplementos.

10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: Ómega 3 e 6.
ONDE OBTER: sardinha, salmão, abacate, azeite

11. DESÂNIMO, APATIA, TRISTEZA, RAIVA, INSATISFAÇÃO, DEPRESSÃO, VONTADE DE MORRER
O QUE ESTÁ FALTANDO:

Dinheiro,pessoal, dinheiro!!!
 

 ONDE OBTER: 
 

  se eu soubesse, não tinha todos estes sintomas...

Pressão arterial

Pressão arterial
A expressão pressão arterial (PA) refere-se à pressão exercida pelo sangue
 contra a parede das artérias. A pressão arterial bem como a de todo o sistema
 circulatório encontra-se normalmente um pouco acima da pressão atmosférica,
 sendo a diferença de pressões responsável por manter as artérias e demais
 vasos não colapsados. O seu valor no indivíduo saudável varia continuamente,
 consoante a atividade física, o stress ou a emotividade.

Ciclo cardíaco

Denomina-se ciclo cardíaco o conjunto de acontecimentos desde o fim de um batimento
 cardíaco até o fim do seguinte.

No momento em que o coração bombeia seu conteúdo na aorta mediante contração
 do ventrículo esquerdo, encontrando-se a válvula mitral fechada e a válvula aórtica
 aberta, quando a pressão ventricular esquerda é máxima, a pressão calculada a nível
 das artérias também é máxima. Como esta fase do ciclo cardíaco se chama sístole,
 a pressão calculada neste momento é chamada de pressão arterial sistólica.
Imediatamente antes do próximo batimento cardíaco, com a válvula aórtica fechada
 e a mitral aberta, o ventrículo esquerdo está em relaxamento e a receber o sangue
das aurículas. Neste momento a pressão arterial nas artérias é baixa, e, como este
período do ciclo cardíaco se chama diástole, é denominada pressão arterial diastólica.
 No entanto, esta pressão mínima ainda é consideravelmente superior à pressão
 presente do lado exterior da aorta e de todo o sistema arterial, sendo esta certamente
maior do que a pressão atmosférica razão pela
 qual as artérias não colapsam nesta fase do ciclo.
         
    
 O esfigmomanómetro
A determinação indireta da pressão arterial só se tornou possível a partir de 1880,
 quando von Basch, na Alemanha, idealizou o primeiro aparelho, que nada mais era
 que uma bolsa de borracha cheia de água e ligada a uma coluna de mercúrio ou a
um manômetro. Comprimindo-se a bolsa de borracha sobre a artéria até ao
 desaparecimento do pulso obtinha-se a pressão sistólica. Em 1896, um médico italiano,
 Riva-Rocci, substituiu a bolsa por um manguito de borracha e a água pelo ar.
A medida da pressão diastólica teve que esperar por mais 9 anos, até que um jovem
médico russo, Nikolai Korotkov descobrisse os sons produzidos durante a descompressão
 da artéria.

Não existe uma combinação precisa de medidas para se dizer qual é a pressão normal,
 mas em termos gerais, diz-se que os valores 120/80 mmHg são valores considerados
 ideais no adulto jovem.
 Contudo, medidas até 140 mmHg para a pressão sistólica, e 90 mmHg para a diastólica,
 podem ser aceitas como normais. O local mais comum de verificação da pressão arterial
 é o braço, usando como ponto de auscultação a artéria braquial. O equipamento usado é o esfigmomanômetro ou tensiômetro, que possui uma braçadeira insuflável ou manguito, e para auscultar os batimentos, usa-se o estetoscópio. Quando se fala em dois valores de pressão arterial (145 por 90 mmHg, por exemplo), estamos falando de 145 no pico da sístole e 90 no final da diástole, portanto pressão sistólica e pressão diastólica.1
                        

Definições
A pressão arterial pode ser medida a vários níveis do sistema circulatório, diminuindo a pressão à medida que o ponto de medida se afasta do coração. Assim, na grande circulação podem ser medidas pressões a todos os níveis mas na prática clínica diária só se usa a pressão máxima e a mínima.
 Pressão Arterial Sistólica: Pressão Arterial máxima do ciclo cardíaco, ocorrendo durante a sístole ventricular.
 Pressão Arterial Diastólica: Pressão Arterial mínima do ciclo cardíaco, equivalendo a pressão no fim da diástole ventricular.
 Pressão Arterial média: Média das pressões instantâneas de todo um ciclo cardíaco. Costuma ser deduzida das pressões diastólica e sistólica, com margens de erro variáveis, conforme a fórmula utilizada. Poder-se-ia pensar que seria realmente a média mas não é: aproxima-se mais da pressão diastólica.
 Pressão Arteriolar: Pressão nas arteríolas do organismo.
 Pressão Pré-capilar. Pressão na arteríola imediatamente antes de se iniciar um capilar.
 Pressão Capilar. pressão média no capilar. Fundamental para as trocas de líquidos
 entre o sangue e o espaço extracelular, conforme a Lei de Starling.
Na pequena circulação existem todos os equivalentes acima, seguidos do termo "Pulmonar", como em "Pressão Arterial Pulm

                     
Doenças relacionadas.  Hipertensão arterial é uma doença crónica determinada por elevados níveis de pressão sanguínea nas artérias, o que faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer circular o sangue através dos vasos sanguíneos. A pressão sanguínea envolve duas medidas, sistólica e diastólica, referentes ao período em que o músculo cardíaco está contraído (sistólica) ou relaxado (diastólica). A pressão normal em repouso situa-se entre os 100 e 140 mmHg para a sistólica e entre 60 e 90 mmHg para a diastólica.1 Para que os valores sejam fiáveis, a medida deve fazer-se após um período de repouso de 5 a 10 minutos num ambiente calmo. A largura da braçadeira nota 1 deve corresponder a 2/3 do comprimento do braço, com comprimento suficiente para rodear bem todo o braço envolvendo cerca de 80% deste. Uma braçadeira muito estreita origina valores falsamente altos e por sua vez uma larga demais estará na origem de falsos negativos.

A hipertensão arterial é um dos principais factores de risco para a ocorrência do acidente vascular cerebral, trombolembólico ou hemorrágico, enfarte agudo do miocárdio, aneurisma arterial (por exemplo, aneurisma da aorta), doença arterial periférica, além de ser uma das causas de insuficiência renal crónica e insuficiência cardíaca.3 Mesmo moderado, o aumento da pressão sanguínea arterial está associado à redução da esperança de vida.1 Segundo a American Heart
Association é a doença crónica que ocasiona o maior número de consultas nos sistemasde saúde, com um importantíssimo impacto económico e social.
 Pressão Pós-capilar ou Venular. Pressão no início das vênulas. A este nível passa a ser pressão venosa e não arterial.
Wikipédia, a enciclopédia livre



Petéquia

Petéquia

Uma petéquia é um pequeno ponto vermelho no corpo (na pele ou mucosas), causado por uma pequena hemorragia de vasos sanguíneos1 . Em contraste com outras manchas na pele, as petéquias não somem(ou clareiam) quando são pressionadas.

A causa mais comum de petéquias é o trauma físico, por exemplo, acessos de tosse severos, vômito e choro, que pode resultar em petéquias faciais, especialmente ao redor dos olhos. Nesses casos, as petéquias são completamente inofensivas e geralmente desaparecem dentro de alguns dias. A petéquia pode ser um sinal de trombocitopenia (baixa contagem de plaquetas). Também pode ocorrer quando a função das plaquetas estiver inibida (como um efeito colateral de medicações ou em certas infecções)1 .

A petéquia em adultos deve ser sempre rapidamente investigada. Ela pode ser interpretada como uma vasculite, uma inflamação de vasos sanguíneos, que requer tratamento imediato para prevenir danos permanentes. Algumas condições malignas também podem desencadear o aparecimento de petéquias. As petéquias devem ser investigadas por um profissional de saúde competente para que se possa excluir causas graves. Os dermatologistas podem ser os especialistas mais adequados nestas condições, porque eles podem identificar com mais facilidade se a condição é uma petéquia ou outras alterações semelhantes.

A significância da petéquia em crianças depende do contexto clínico em que elas se encontram. Podem estar relacionadas à infecções virais e, nesse caso, não são necessariamente sinal de doença grave. Entretanto, associadas à outros sintomas podem indicar doenças potencialmente sérias, como meningococemia, leucemia ou algumas causas de trombocitopenia. Assim, sua presença não deve ser ignorada.

A felicidade não é um cavalo que se sele e submeta com freio à nossa vontade. Provérbio Russo
Todo cavalo acha que a sua carga é a mais pesada. Thomas Fuller


Verdi.Nabucco.Va Pensiero.MET.2002

Epilepsia em Adultos – Angioma Cavernoso – Hemangiomas – Cavernoma Cerebral


As malformações vasculares no cérebro pode ser denominadas de angioma cavernoso -hemagiomas ou cavernoma cerebral. Estas anomalias causam convulsões e epilepsia , e atingem principalmente os adultos.
Esta doença atinge um em cada 1000 indivíduos.
Quando os sintomas são gerados, eles tomam a forma de apreensões e / ou hemorragia cerebrais.
Esta doença inicia-se entre 20 e 30 anos de idade, mas as manifestações clínicas podem ocorrer em qualquer idade.
O diagnóstico é feito com base em exames de ressonância magnética cerebral (RM).
Esta doença pode se dar por duas formas: uma esporádica e familiar e outros.
Este último representa cerca de 20% dos casos e é transmitida por herança autossômica dominante.
Forma familiar pode afetar homens e mulheres, cerca de metade dos descendentes de indivíduos afetados são portadores do gene mutado.
O tratamento consiste essencialmente de prescrever agentes anti-epilépticos para as apreensões e neurocirurgia para as lesões responsáveis pela hemorragia cerebral quando tal se justifique.
O mecanismo que conduz ao desenvolvimento destas lesões é desconhecido.
Os recentes avanços na pesquisa sobre cavernomas têm demonstrado a existência de 3 genes responsáveis pelo seu desenvolvimento que foram localizadas no braço longo do cromossomo 7, o braço curto do cromossomo 7 e do braço longo do cromossomo 3.
Apenas o gene situado no cromossomo 7q foi identificado: denominado Creta.
Pacientes com cavernomatoses ligado a uma mutação nesse gene podem ter uma proteína truncada Krit-1 ou ainda estar ausente.
Veja mais sobre cavernomas, doenças cerebrais, malformação cerebral, malformação vascular, epilepsia, epilepsia em adultos, convulsões, acesse estas categorias no site ou clique nos links desta página.
                
http://saude.psicologiananet.com.br/palavra-chave/cavernoma-cerebral



IMAGENS


https://lh5.googleusercontent.com/-hdeIJ4mdX4o/Ut_0WB-q7NI/AAAAAAAAPrs/rzXHttCTiEE/w469-h542-no/Amor.gif



  


  

   






https://lh5.googleusercontent.com/-Nn7wxGbTkCc/Ut8Zf2hKUaI/AAAAAAAB0_A/Bcey1CvfQ28/w416-h623/tumblr_mitq1ssAMh1qgawlzo1_500.gif




https://lh4.googleusercontent.com/-Tgte-aQ9Hvw/Ut5i85iFsKI/AAAAAAAAQ80/daY55yl4djo/s416/0549.gifhttps://lh5.googleusercontent.com/-CS6OgCvlFhU/UtwCMzHBZ4I/AAAAAAAA4Eg/t884rrt5-yo/w416-h831/654e9c9c64721e422f0c7f01298ab99e.jpg





























 


O  O VALOR DE UMA DONA DE CASA 
Após o trabalho, o homem chegou a casa e encontrou os seus três
                                       
 > filhos brincando no quintal, ainda de pijama, sujos de terra e

 > cercados por embalagens vazias de comida do supermercado.
 > A porta do carro da esposa estava aberta.
> A porta da frente da casa também.
 > O cachorro tinha desaparecido, não veio recebê-lo.
 > Enquanto entrava em casa, ia descobrindo mais e mais bagunça.
> A lâmpada da sala fundida, o tapete enrolado e encostado à parede.
 > Na sala de estar: a televisão ligada, aos berros, num desenho
 > animado qualquer, e o chão atulhado de brinquedos e roupas.
 > Na cozinha: o lava-loiça cheio de pratos, a cafeteira do
 > pequeno-almoço na mesa, o frigorífico aberto, a comida do cachorro
 > espalhada pelo chão e até um copo quebrado em cima do balcão.
 > Sem contar com um montinho de areia junto à porta.
 > Assustado, desviando-se dos brinquedos e das peças de roupa, subiu
> as escadas a correr interrogando-se...
 > Será que a minha mulher está mal?'
 > Será que alguma coisa de grave aconteceu?'
 > A casa de banho escancarada.
 > Encontrou mais brinquedos no chão, toalhas ensopadas, sabonete
 > líquido por toda a parte e muito papel higiénico na sanita.
> A pasta de dentes tinha ficado aberta e a banheira transbordava de
 > água e espuma.
> Finalmente, ao entrar no quarto, encontrou a mulher, ainda de
 > pijama, a ler uma revista na cama.
 > Olhou para ela completamente confuso e perguntou:
 > Que diabo aconteceu aqui em casa?'
 > Porquê toda essa bagunça?'
 > Ela sorriu e disse:
 > - Todos os dias, quando chegas do trabalho, perguntas-me:
 > - Afinal de contas, o que é que fizeste o dia inteiro em casa?'
> -Bem... Hoje não fiz nada, FOFO' !


O meu nome é MULHER!

 > No princípio era a Eva
 > Criada para a felicidade de Adão
 > Mais tarde fui Maria
 > Dando à luz Aquele
 > Que traria a Salvação
 > Mas isso não basta
 > Para eu encontrar perdão
 > Passei a ser Amélia
 > A mulher de verdade
 > Para a sociedade
> Não tinha a menor vaidade
 > Mas sonhava com a igualdade.
 > Muito tempo depois, decidi:
 > Não dá mais!
 > Quero a minha dignidade.
 > Tenho os meus ideais!
 > Hoje, não sou só esposa ou filha
 > Sou pai, mãe, arrimo de família
 > Sou caminheira, taxista,
 > Piloto de avião, policial feminina,
 >Operária em construção...
 > Ao mundo peço licença
 > Para actuar onde quiser
> Meu sobrenome é COMPETÊNCIA
>  E meu nome é MULHER!

 > (O Autor é Desconhecido,
 mas um verdadeiro sábio...)

O MARAVILHOSO Sado e o Alentejo

                         
http://files.linces-ajuda.webnode.com.pt/200000019-7de3c7edda/7583golfinhos%5B1%5D.jpg



O Sado (antigamente chamado Sádão) é um rio português, que nasce a 230m de altitude, na Serra da Vigia e percorre 180 quilómetros até desaguar no oceano Atlântico perto de Setúbal. No seu percurso passa por Alvalade e Alcácer do Sal, sendo a foz em frente a Setúbal. De jusante de Alcácer do Sal até à foz desenvolve-se um largo estuário separado do oceano pela península de Troia.

É dos poucos rios portugueses que corre de sul para norte, tal como o Rio Mira (Odemira, Alentejo), que é de menor dimensão.

No estuário do Sado habita uma população de golfinhos (roaz-corvineiro), que tem resistido à invasão do seu habitat pelo homem (tráfego marítimo para os estaleiros da Mitrena, para o porto de Setúbal e decorrente da pesca e da doca de recreio, além do ferry-boat de ligação entre margens).

O rio Sado não tem um grande caudal devido a vários factores, destacando-se dois: o clima mais árido do Alentejo, onde se encontra a sua nascente; e o desnível, pequeno, entre a altitude da nascente e a altitude da foz.

A bacia hidrográfica do rio Sado tem uma área de 7692 km², sendo a bacia hidrográfica de maior área inteiramente portuguesa. O estuário ocupa uma área de aproximadamente 160 km², com uma profundidade média de 8m sendo a máxima de 50m. O escoamento é forçado principalmente pela maré. O caudal médio anual do rio é de 40m³/s com uma forte variabilidade sazonal — indo de valores diários inferiores a 1m³/s no Verão até superiores a 150m³/s no Inverno
Rio Sado em Alcácer do Sal, visto da margem direita.









O Alentejo dourado

era na Escola chamado
O Celeiro da Nação

velhos tempos de miséria

em que tanta gente séria

transformou pedras em pão

 Alentejo meu amigo

de ceifeiras e ganhões

do Sol a Sol do castigo

que dava parcos tostões

 No meu Sado, meu amor

onde o herói pescador

também foi um explorado

parca  a“aviação”

mas enorme coração

no quinhão esperançado

 à chegada da traineira

já a linda conserveira

ouve a fábrica apitar

e tal como a ceifeira

faz uma jornada inteira

sem tempo pra descansar

 a riqueza acumulada

dos que sem produzir nada

viveram de gente séria

Industriais conserveiros

ou agrários garganeiros

chupam dedos à miséria

 comparando as asneiras

sem falar nas roubalheiras

dum Portugal pouco irmão

pescadores sem traineiras

prós ganhões e prás ceifeiras

um Alentejo sem pão

 João Paixão


                             

https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn1/t1/1557560_250141571812913_2143485416_n.jpg                          
   O significado do abraço
Um abraço significa carinho, amor, afeto e amizade. Um abraço estabelece uma ligação íntima e saudável entre as pessoas. É bom tanto para quem dá, quanto para que recebe.
É um gesto simples, porém carregado de sentimentos. Desde a infância, as pessoas aprendem a abraçar aqueles que lhe são próximos para transmitir emoções diversas, seja em momentos de alegria, tristeza, saudade ou, simplesmente, quando dá vontade.
Para quem está passando por momentos difíceis, receber um abraço é reconfortante porque significa atenção, apoio, consolo e transmite solidariedade com o próximo.
Pesquisas comprovaram que o abraço traz benefícios para a saúde, pois aumenta os níveis de uma substância chamada oxitocina, que tem a particularidade de reduzir os estados de stress e ansiedade, aumentando a felicidade e o bem-estar da pessoa.
No nascimento da criança, as mães que apresentam um nível mais elevado de oxitocina, têm a probabilidade de desenvolverem um comportamento de maior ligação com o bebê.
Nos relacionamentos amorosos, um abraço melhora a relação, pois estimula a comunicação entre o casal e a compreensão dos problemas.

Nas comunicações escritas ou verbais, é comum as pessoas se despedirem com a expressão: "Um abraço".
Dia 22 de maio é comemorado o Dia do Abraço. Nos Estados Unidos, Austrália e alguns outros países, o National Hug Day (Dia Nacional do Abraço) é comemorado no dia 21 de janeiro.