• O Arroz   
  • O arroz  é uma planta da família das gramíneas que alimenta mais da metade da população humana do mundo. É a terceira maior cultura cerealífera do mundo, apenas ultrapassado pelo milho e trigo. É rico em hidratos de carbono. 
  • Para poder ser cultivado com sucesso, o arroz necessita de água em abundância,
  •  para manter a temperatura ambiente dentro de intervalos adequados, e, nos
  •  sistemas tradicionais, de mão-de-obra intensiva. Desenvolve-se bem mesmo
  • em terrenos muito inclinados e é costume, nos países do sudeste asiático,
  •  encontrarem-se socalcos onde é cultivado.
  • Em qualquer dos casos, a água mantém-se em constante movimento, embora circule a velocidade muito reduzida.
  •  O Arroz em Alcácer do Sal
  • Foi sobretudo depois de 1833, no seguimento das lutas liberais que se deu
  •  a grande expansão da cultura do arroz nesta zona, o que arrastou ao mesmo
  •  tempo, durante muitos anos, grandes
  •  discussões acerca das vantagens e dos inconvenientes desta cultura.
  • A introdução do arroz não se fez, assim, sem fortes oposições ao longo do
  •  século XIX. Não obstante a cultura do arroz nesta zona não mais deixou de
  •  se efectuar.
  • No século XX a sua cultura passou até a ser incentivada, tornando-se no grande
  •  motor económico da zona. Segundo um jornal de 1934, a zona da Comporta era a
  •  região orizícola maior e melhor do país, sendo hoje ainda uma grande zona
  •  produtora de arroz.
  • Os arrozais do Sado constituem, do ponto de vista natural, áreas extremamente
  •  importantes para a alimentação de algumas espécies, nomeadamente as cegonhas
  •  e as garças.
  • Planícies sem fim queimadas pelo sol impõem um ritmo lento e compassado. É o
  • nosso Alentejo.
  • No Norte Alentejano, as serras começam a dar lugar às planícies. Andando para
  •  Sul, o interior mostra-nos as searas douradas ondulando ao vento, onde ao
  • longe se deixam avistar algumas serras. Chegados ao litoral, somos deslumbrados
  •  por praias agrestes de uma beleza selvagem, lagoas verdejantes e rios que
  •  correm para a liberdade.
  • O passado está sempre presente no Alentejo, desde a pré-história, passando
  •  pelo Império Romano, pela ocupação Árabe e pelos Castelos Medievais, os
  •  vestígios do passado são incontornáveis para o visitante, oferecendo uma
  •  verdadeira viagem no tempo.
  • Mas, nem só do espírito vive o viajante, e quando o apetite se faz sentir,
  •  o Alentejo tem muito para oferecer. Neste capítulo a criatividade dos
  •  Alentejanos não tem limite. Umas entradas com um extraordinário queijo
  • de Serpa ou de Nisa ou presunto de Barrancos acompanhado com um pão de
  •  Mértola, siga pela Sopa de Cação ou pelo Gaspacho, isto sem falar na
  •  Açorda Alentejana nem num peixe fresco grelhado acabado de pescar nas
  • arribas rochosas da Costa Vicentina, continue com o Ensopado de Borrego ou
  • com as Migas de Espargos com carne de porco, momento certo para provar
  •  um tinto
  •  de Borba, Redondo, Reguengos ou Vidigueira. Para terminar, os doces
  • conventuais, que tal uma Sericaia, umas Trouxas-de-ovos ou um Toucinho
  • Rançoso.
  • Se gosta de passear pela natureza, passeie a pé pelo verde das Serras
  •  d’ Ossa, Portel ou Grândola. Visite o Parque Natural da Serra de S. Mamede
  •  onde as paisagens do Sul encontram as do Norte e descubra o mais Alto Alentejo
  • . No litoral, faça uma viagem inesquecível entre os golfinhos do estuário do
  •  Sado ou delicie-se com a quietude das praias quase desertas do Sudoeste.
  • O Alentejo tem muito para oferecer e espera a vossa visita.

 

Como se cultiva o arroz

Alisa-se a terra.
Fazem-se os tanques que se enchem de água.
Semeia-se aí o arroz.
O arroz cresce com a raíz dentro de água e as folhas ao sol.


foto1.jpg (4347 bytes)
A planta do arroz
Quando a planta já cresceu muito, crescem-lhe espigas com grãos de arroz lá dentro.
Quando as espigas estão maduras abrem as portas do tanque e a água sai.
A planta seca e é ceifada.


foto2.jpg (3735 bytes)

Os arrozais
Os arrozais são os campos cultivados de arroz.
Os pássaros e os insectos gostam muito destes campos. Por vezes também lá há peixes.
Os animais gostam muito destes campos porque têm muito alimento.


foto3.jpg (5652 bytes)
Como germina um grão de arroz
foto4.jpg (2325 bytes)

Onde se cultiva arroz
O arroz cultiva-se em muitos países, mas veio da China e da Índia.

A maneira de o cultivar não mudou muito.
Na Ásia cultiva-se muito arroz, mas também é quase todo lá consumido.
Como o arroz é uma planta que precisa de muita água, é cultivado junto dos rios.
Em Portugal faz-se a cultura do arroz junto aos rios também.
foto5.jpg (5174 bytes)
O arroz
"Na Ásia, na terra do arroz, como é que o cozem?
Na maior parte das vezes a vapor; a água ferve na marmita de baixo e liberta uma nuvem de vapor muito quente que coze o arroz colocado no cesto de cima ...
... na Itália e na Turquia gostam de cozer o arroz numa grande panela com pedaços de carne, legumes e especiarias. Nos países em que se come arroz todos os dias, as pessoas não se enfastiam dele. Substitui de certo modo o pão que devoras a refeição!
...
Curiosidades

- O arroz antes de ser descascado chama-se arroz integral. Se o comemos assim estamos a comer um alimento mais rico.
- Na Europa, nos Estados Unidos, atira-se arroz aos noivos para lhes desejar riqueza e felicidade.
- Na China come-se com pauzinhos.


Trabalho da Inês e da Cátia
2º ano


Sem comentários:

Enviar um comentário